o que é Tralha?

O uso mais corriqueiro da palavra “tralha” é para nomear um conjunto de coisas fora de ordem, coisas bagunçadas no nosso caminho. Além disso, “tralha” é o nome dado tanto a uma rede pequena de pesca, que pode ser jogada na água apenas por um homem, quanto ao fio usado para costurar as própria redes e velas. A reunião destes significados traz um pouco do que o Coletivo Tralha faz: recolher os sujeitos e fios para costurar relações entre as pessoas e a cidade.

Em 2009, a partir de experiências na produção de instalações, vídeos, colagens em espaços públicos, oficinas artistico-educativas e trabalhos de arte interativos, os artistas Anderson Rei e Matheus Giavarotti fundaram o Coletivo Tralha. Em suas propostas, há sempre um elemento de interação entre obra e público que refaz a obra em si. Com  intervenções artísticas, dinâmicas e dispositivos lúdicos, criam uma pausa no fluxo cotidiano e um lugar para o jogo, onde o único objetivo é jogar – estimulando a participação do público de todas as idades.

O jogo propõe uma experiência que é capaz de afetar os sujeitos e modificar-lhes de algum modo.

As propostas acontecem em espaços públicos, como praças e centros culturais e de lazer, com o propósito de ativar estes espaços como locais de troca e diálogo. Volantes com frases a serem completadas, letras para serem dispostas em um mural, caixas de papelão com imagens para serem organizadas ou transparências para serem projetadas. Tudo segundo a vontade de quem está jogando.

avatares